Arquivo da tag: A Suécia e eu

Parabéns para mim!

DSC_0275

Foto: Karine Bäckman

Aproveite o tempo em sua conta

Imagine que você tivesse ganho uma competição cujo prêmio fosse que um banco abrisse todas as manhãs uma conta em seu nome com 86 400 coroas. Cada jogo tem uma regra, este aqui porém, 2. A primeira é que todo o dinheiro que você não tenha gasto desaparece da conta quando um novo dia se inicia. Não se pode trapacear transferindo o restante para uma outra conta, tem que utilizá-lo.

Mas, à cada manhã o banco abre uma nova conta em seu nome com novas 86 400 coroas para ser usado durante o dia.

Regra número 2 é que o banco pode acabar com o jogo sem aviso prévio. Quando quiser, o banco notifica que o jogo acabou, sua conta é encerrada e que uma nova conta não será aberta no dia seguinte. O que você faria com todo este dinheiro?

Faria coisas divertidas, compraria presentes para amigos e familiares, compraria um presente para você mesmo, aproveitaria para comer e beber coisas gostosas que nunca havia experimentado? Você ao certo encontraria muitas coisas para fazer com o dinheiro, mas com certeza não seria fácil gastar 86 400 coroas em um dia.

O FANTÁSTICO é que este banco maravilhoso existe. É o tempo! Todas as manhãs quando acordamos recebemos 86 400 segundos de vida para usarmos, e o que não usamos disperdiçamos. Ontem é passado. Todas as manhãs a mesma mágica, 86 400 segundos de vida. Mas mesmo a vida tem regras que não podemos burlar, “a conta” pode ser fechada a qualquer minuto, repentinamente. A vida pode acabar a qualquer instante.

Então, o que faremos com nossos 86 400 segundos diários? O que você faz? Por certo é bem mais importante os segundo de vida do que as caroas, não?

Tradução livre do texto retirado da revista Reflex, edição 3 de 2014. 

Dizem que o mes que antecede o nosso aniversário é um período chamado inferno astral. Os últimos 15 dias, os piores. Eu, definitivamente, nunca senti este período até porque não me considero uma pessoa lá com tanta sorte assim para poder sofrer com algum tipo de decepcão pré-aniversário ou inferno astral. Não mesmo!

Este ano, às vésperas de completar 42 primaveras, o que acontece é que tenho sentido um despertar. Nestes últimos 5 anos tenho que vivido meio que em um limbo, não muito contente com os acontecimentos ou desenrolar da vida, mas ainda assim agradecendo pelo que tenho conseguido: família, marido, emprego, Branca… o problema é o sentimento de vazio, de que nada novo está para acontecer, isso tem me matado aos poucos dia-a-dia…

Eu sempre ouvi dizer que os pilares da falecidade são: Ter um filho, plante um árvore e escreva um livro. Bem, eu escrevo um blog dá quase no mesmo, já plantei inumeras árvores e tenho o meu jardim florido, e tenho a Branca, minha filhota de 4 patas. Tive que adaptar neste último, já que as tentativas de ter um bebê não tem sido lá um sucesso, e depois dos 40 as probabilidades são ainda menores. Coisas da vida… Porém, aquela sensação de felicidade, dever cumprido segundo os pilares da felicidade não existe. Eu não sei o que é. Ao contrário dos pilares, o que me deixa feliz é viajar. Poder voar, conhecer novas cidades, pessoas e culturas, isso sim é felicidade. Creio que deveria ter nascido um pássaro para poder voar livre e viajar para onde pudesse e minhas asas me levassem, aí sim, seria incondicionalmente feliz…

Entretanto, este ano para mim, o meu inferno astral tornou-se quase que um despertar. Resolvi que esta vida perfeitinha está perfeitinha demais e eu não quero que seja assim. Comecei uma batalha pessoal anti-estagnação, saindo da minha zona de conforto que é isso que nos faz crescer.

Resolvi que voltaria a escola, e lá estou. Mesmo que em um curso de sueco do qual eu já deveria ter me livrado e terminado há algum tempo se não tivesse me acomodado com o meu trabalho e a chance de arrumar algo melhor tendo referências. Isso não aconteceu e creio que não acontecerá. Então resolvi conquistar um diploma universitário, ainda que como tecnólogo, mas algo que me trará um resultado no futuro. Claro que levará tempo para terminar o curso, afinal ainda tenho que seguir com o sueco até chegar no mínimo exigido nos certificados (betyg), mas já dei o primeiro passo. Aliás, o segundo, uma vez que consegui pular um dos cursos porquê estava em um nível mais avançado devido ao sueco que aprendi trabalhando e tendo contado por nativos.

Enfim, espero realmente que este ano seja um ano de virada e descobertas pois afinal, é exatamente sobre o que o texto acima fala: todos nós ganhamos 86 400 segundos de vida diariamente, e cabe apenas à nós resolver como ele será utilizado.

Agora vou ali fazer os planos de como celebrar mais este ano, já que dia 30 está logo ali 😉

Vi ses, hej då! 😉

O dia em que morri em 720kr :(

Agora que o Natal se aproxima é hora de enfeitar as casas, escrever cartões de natal e comprar presentes para as pessoas amadas…

Uma das tradições suecas mais legais para as crianças que é o “Julkalender”, ou calendário de Natal. Existem vários tipos à venda nas lojas nesta época. Geralmente os pais ou avós fazem estes calendários, e a cada um dos 24 dias que antecedem o Natal um número é aberto e as crianças ganham presentes ou doces. Em muitos casos, para cada número existe uma xarada que deve ser decifrada, e é uma verdadeira caça ao tesouro. Minha sogra costumava fazer a caça ao tesouro quando meu marido e o irmão eram crianças, e depois com os filhos do meu marido.

Há também um programa diário, tipo novelinha durante este período que é passado no SVT1 chamado Julkarender voltado ao público infantil. O programa é exibido entre 1 e 24 de dezembro, às 19:00hs, e é sempre baseado em algum conto clássico da literatura sueca. A molecada se amarra, e minha sogra também 😉 . O tema deste ano é: Barna Hedenhös uppfinner julen (As crianças da idade da pedra inventam o Natal), baseado nos contos Barna Hedenhös, escritos por Bertil Almqvist (Bertila) entre os anos de 1948 e 1971.

Mas voltando ao tema do post, este ano resolvi fazer o meu próprio Julkalender. Eu vi na TV que tem um tipo de raspadinha chamada Triss – que eu compro para tentar a sorte de vez em quando – com uma premiação especial para o natal e lá fui eu comprar a bendita. No quiosque ao lado do Ica tinha uma placa mostrando o valor de 150kr, até aí tudo bem. O problema foi que a tonta nem para se ligar que normalmente o valor de cada Triss é 30kr, o que multiplicado pelos 24 dias do Julkalender ficaria em torno de 720 + 150 do bendito calendário em si, ou seja, nada a mais nada a menos que 870kr. Sei lá onde estava minha cabeça e eu estava contando com o valor de 300kr ou algo por aí, acho que era o frio kkkkkkkk

Pois bem, pedi a atendente o bendito calendário, e 10 selos internacionais para mandar meus cartões de natal para família e amigos, virei para pegar minha carteira na bolsa, quando derrepente eu ouço: “åttahundra forty, tack!” – oitocentos e quarenta, obrigada!. Engoli seco, como assim 840kr?, pensei comigo. Enfim, a sorte é que eu tinha dinheiro na conta. Fiz uma conta rápida e vi a mancada que dei no meu erro de cálculo, mas fiquei sem graça de assumir e desistir da compra. Paguei e fui pra casa P… da minha vida por ter gasto todo este dinheiro em loteria… mas vai que eu ganho um super prêmio do tipo 100.000kr por mês por 25 anos, nunca mais vou reclamar da vida e ainda dá para salvar uma graninha para a minha aposentadoria e da Branca.

Agora, que a vaca e o meu rico dinheirinho foram para o brejo o negócio é esperar até primeiro de dezembro para começar a raspar o meu Julkalender e ver o que acontece. Tomara que no mínimo ganhe meu dindin de volta.

Eu sei que os valores não estão batendo mas foi o seguinte:

  • Raspadinhas    24 X  30 = 720
  • Selos intern.     10 X  12 = 120
  • Julkalender = Gratis       ________
  •                              Total     =  840

Bem, por hoje foi o que tive para contar e fazer a galera rir um pouco com a minha burrada. Fala sério, como que eu apronto uma destas comigo mesma???

1385675314663

Kram och puss 😉